Arquivo do mês: novembro 2014

Natal com Tio Sam ( conto de natal)

* Samuel era rico e poderoso. Sam, como era conhecido pelos amigos mais íntimos, era dono  de todo quarteirão. Todos no seu bairro e até os mais distantes tinham por ele uma grande admiração. Sam apesar da aparência jovial era … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

A menina do nariz iluminado ( conto de natal)

Aquela menina sabia que dentro de poucos minutos a luz se apagava. E sob a iluminação fraca de um candeeiro ela se debruçava sobre os livros. Na penumbra do quarto  viajava nos textos lidos. O seu predileto era de uma … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Papai Noel desajeitado ( conto)

*       Eis que naquele Shopping Sem Nome contrata um Papai Noel muito simpático, mas ingênuo. E a regra é bem clara:                NÃO É PERMITIDO TIRAR FOTO DE CRIANÇA COM PAPAI NOEL             SEM  AUTORIZAÇÃO DOS PAIS!                                … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Estudantes do CELF na Serra do Orobó

A Serra do Orobó Que fica em Rui Barbosa Tem cerrado, caatinga e pó E Mata Atlântica tão formosa.  *** Para desfrutar a natureza A galera do Colégio Estadual Num passeio… que beleza! Estudantes e professores do CELF, pessoal! *** … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Tarsila do Amaral ( prosa poética)

* Pense numa mulher que fugiu das convenções de uma época… Sou eu. Nasci em 1886, em Capivari – São Paulo e faleci 1973. Estudei nas melhores escolas do Brasil, Espanha, França…na adolescência permaneci em Colégio de Freiras. Filha e … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

ANJOS DE CONSCIÊNCIA, NEGRA!

* Crianças de pés descalços Quem cuida de vocês? Filhos do tempo e o vento… Correm perigos mais de uma vez.   Roupa suja e surrada Em que mãos irão parar? Ah, daquela CHUVA camarada… E logo o SOL virá … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

SAMBA E SUOR ( conto)

 * Era  noite de lua cheia, época da escravidão. Da casa grande o Coronel Viramundo observava a grande roda de seus escravos no terreiro.  No entanto seu olhar se perdia nos movimentos de Lindinha.  A filha de  uma das escravas, … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário