Arquivo do mês: novembro 2015

CAFÉ COM SONETO ( Recital: Rascunho de mim*)

organização: E. Amorim Soneto 1:  Rascunho de mim ( M.  S.. 3ª. BM Ensino Médio/2015)   Sou negra, sou alta, sou magra Meu cabelo é crespo e não é ruim Amo a minha cor pretinha Porque Deus me fez assim. … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | 1 Comentário

Único amor (conto)

Elisabeth Amorim Talvez você nem se lembre mais de mim… pensava  Índia, olhando tristemente um pequeno broche que trazia muito bem guardado  na sua caixinha de jóias preciosas.  E volta às lembranças daquele passado tão distante, porém  presente na sua … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Consciência branca em conflito ( crônica)

Recentemente uma jovem negra monologava em voz alta sobre o “Dia da Consciência Negra” e numa das falas ela reclamava de como “os negros querem se aparecer por conta dessa data”, geralmente, segundo ela, “fazendo-se de vítima”.  Em síntese, ela … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Chuva de estrelas cadentes ( conto)

  Eu era tão pequenina , mas  ouvindo as histórias de gente grande passei a acreditar em Papai Noel, fadas, Gatas Borralheiras…Não entendia porque em minha chaminé nenhum Papai Noel tinha ficado entalado e  a minha abóbora  à meia-noite, continuava … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

CONSCIÊNCIA, NEGRA! ( oficina: Nossas Raízes Africanas)

Apesar de morar num país com forte miscigenação ouvimos constantemente  da mídia pessoas sendo agredidas, discriminadas e excluídas por conta da cor da pele.   E essas agressões surgem de todos os lados, seja através do confronto direto, crime virtual e … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Cabelo ao vento( homenagem às mulheres negras)

* Você disse que meu cabelo é duro? Duro é conviver com o seu preconceito! Meu cabelo é lindo! Ele é ondulado, sim. Perfeito. Indomável? Até o momento que eu  o preservar assim. *** Pentear, trançar, esconder ou liberar? São … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário

Sem correntes (soneto)

Elisabeth Amorim Quando fui açoitada por prazer Tu zombaste da minha dor Negaste-me o direito de refazer A minha vida que se despedaçou.           *** Primeiro insistiu em me mutilar Quando o patrão se encantou por … Continuar lendo

Publicado em Uncategorized | Deixe um comentário